Titulo: Daebak | The Royal Gambler | Jackpot

Título original: 대박

Gênero: Ação | Drama | Histórico

Broadcast network: SBS

Capítulos24

Cast Principal:

Jang Geun Suk como Baek Dae Gil
Yeo Jin Goo como Rei Yeongjo
Jeon Kwang Leol como Lee In Jwa
Choi Min Soo como Rei Sookjon

Qualificação: ♥♥♥♥

Sinopse: “Dae Gil (Jang Geun Suk) é de sangue real, mas é forçado a crescer entre a plebe. Ele vira o melhor vigarista e jogador de Joseon, nutrindo grande ressentimento contra a sociedade. Quando Dae Gil consegue entrar em uma derradeira aposta contra o príncipe Young Jo, poderá Dae Gil perder sua vida ou irá o Young Jo perder seu reinado? “Jackpot” é um drama sul-coreano de 2016, dirigido por Nam Gun.”

————————————————————–—————————————————————–

Acho que faz séculos que não vejo um sageuk! Estou me sentindo aliviada por ter encontrado um tão bom e viciante (amooo sageuks). Mas sabe quando bate aquela saudade? Então, faz um tempo que acabei (quase junto com a exibição do drama), mas mesmo assim ainda estou sentindo falta! Preciso de outro sageuk para me curar da depressão pós-drama! rs.

 
 

No caso, vou começar a resenha relembrando: sageuks (dramas épicos) normalmente são baseados em alguma história que realmente aconteceu. E uma das história mais conhecidas é da Jang Ok Jung e do rei Sookjong (que foram citados nessa postagem especial e na resenha do maravilhoso drama Jang Ok Jung Living by love). Pois bem, daebak se passa na mesma época. O rei sangue frio (muito diferente do rei encantador do drama Jang Ok Jung) é pai dos dois protagonistas do drama, o príncipe Yeong Jo e Dae Gil (ambos da concubina Choi), e também pai do príncipe herdeiro Gyeongjong (este por sua vez filho de Jang Ok Jung). Bom, pra quem viu a postagem especial, sabe a verdadeira história desse rei e de suas mulheres. Pois bem, aqui vemos uma outra versão desse fato, assim vamos começar a falar sobre esse sageuk encantador e muito, mas muito, tenso! rs

————————————————————–—————————————————————–

HISTÓRIA

 
 

Primeiro começamos com o relacionamento da concubina Choi e o rei Sookjon. Antes de ser concubina, ela é parte de um plano do vilão In Jwa, que deseja se vingar do rei. Choi é casada com um apostador, que perde tudo em casas de jogos e isso faz com que ela entre em desespero, trabalhando dia e noite para conseguir ter algum dinheiro. Por ser criada do palácio, acaba obedecendo as ordens de In Hwa, esperando que assim tenha uma vida melhor. Inocente, participa de um plano que faz com que o rei Sookjong se interesse por ela. Para tê-la para si, ele somente precisa se livrar do “marido”, e é ai que um dos temas principais do drama entra: jogos e apostas. E é em um jogo nada justo, mas muito inteligente, que o rei Sookjon (disfarçado) faz com que Baek Man Geum aposte a própria esposa, Choi. Perdendo o amor de sua vida, Man Geum entra em desespero, enquanto o rei toma Choi para si.

 
 
 

Com Jang Ok Jung deposta (se vocês conhecem a história, sabem o motivo), Choi ganha destaque na corte. Porém, o primeiro filho dos dois nasce prematuro, só que com saúde de ferro. Pois é,  eles acham muito estranho pois bebês prematuros mal conseguem sobreviver, então os boatos de que o filho não é do rei começa a correr pelo palácio. Mesmo Choi garantindo que seu primogênito é do rei, ela tem que fingir a morte dele para que viva. Então Lady Choi o entrega para seu ex marido, Man Geum, cuidar. E é assim que começa a vida do nosso protagonista Baek Dae Gil: um príncipe que vive como plebeu e que aprende a jogar com seu pai, Man Geum, um dos melhores apostadores da região. Enquanto isso, Lady Choi dá a luz a outro filho, o príncipe Yeongjo (interpretado pelo diviníssimo Jin Goo <3 rs), este um garoto inteligente, forte e decidido, que almeja o trono.

 
 

Bom, nem sei por onde começar direito, mas vou tentar rs. Sabendo da história base, posso começar a comentar o que achei de Daebak. Primeiro, os jogos! Para todo momento tem algum tipo de aposta, algum jogo escondido. Isso diminuí com o passar dos eps e com o aumento da trama, porém ainda assim é a chave mestra para Daebak ser um sageuk bem diferente dos outros.

 
 

Dae Gil, apesar de nascer como plebeu, humilde e simples, acaba conhecendo a dor logo cedo quando In Jwa mata seu pai, Man Geum. Prometendo se vingar, ele tenta diversas vezes matar In Hwa, mas fracassa em todas, afinal, não tem força suficiente para isso. E quase morre… diversas vezes. In Jwa é poderoso e influente, além de ter Choi na corte (ele quem a colocou lá), também sabe que Dae Gil é filho do rei e que, provavelmente, poderá usá-lo um dia caso consiga matar o rei Sookjon. Para seus planos darem certo, In Jwa sempre comenta que Dae Gil deveria primeiro se “tornar um tigre” antes de vir atrás dele. E é isso que Dae Gil faz. Ele é treinado pelo melhor espadachim de Joseon e se torna praticamente invencível.


 
 

Depois de voltar, ele vai atrás de derrotar seu maior inimigo. Mas para isso, precisará acabar primeiro com seus aliados, que estão sempre relacionados a o que? Adivinhem! Sim, a jogos e casas de apostas. Então é nesse mundo de jogos, trapaças e apostas que Dae Gil inicia seu plano de vingança. Maaas calma, que ainda não acabou! Dae Gil conhece o príncipe (bonitão, opa rs) YeonJo, que se esconde através de uma personalidade aventureira e extrovertida, se importando só com jogos, bebidas e mulheres. Mas, na verdade, ele obedece as instruções da mãe, Lady Choi, para não chamar muita atenção dos ministros da outra facção, assim, garantindo uma chance de conseguir chegar ao trono. Sua verdadeira personalidade é beeem oposta.


 
 

Dae Gil e Yeonjo logo se tornam amigos e descobrem interesses em comum, como, por exemplo: matar In Jwa. As cenas deles juntos são ótimas! Porém, o drama é bem extenso e complexo, então o enredo é recheado de momentos e casos diferentes.

 
 

Enquanto Dae Gil quer saber a verdade sobre a morte de seu pai e o segredo de seu nascimento, Yeonjo se torna um príncipe forte, sábio e influente dentro da corte, protegendo o rei Sookjon de ataques rebeldes e de tantas outras façanhas dos ministros. Por esses motivos que Sookjon pensa em dar o trono para Yeonjo, no lugar do fraco príncipe herdeiro, Gyeongjong, que está terrivelmente doente.

 

In Jwa, por sua vez, usa todos os ataques contra si para conseguir avançar em seus planos. Seu maior desejo é matar o rei e destroná-lo, colocando alguém que o obedeça no lugar. Para isso ele tenta usar não só Dae Gil, como o príncipe herdeiro Gyeongjong, que está doente e fraco, precisando de ajuda. Entre guerras pelo poder, Yeonjo e Dae Gil se destacam, principalmente depois que descobrem serem irmãos. Mas claro que nada dura para sempre, afinal, Yeonjo se torna, mais pro fim, rei de Joseon (não é spoiler, pois na história já diz!) e acaba desconfiando das verdadeiras intenções de Dae Gil. Apesar de Dae Gil ser leal e íntegro, Yeonjo passa por muitas provações durante o drama e isso o torna frio e calculista como o pai, propenso a ser duro em diversas decisões. Nessa etapa do drama, a dedicação de Dae Gil não é só acabar com In Jwa, mas salvar seu irmão e rei. No fim, a trama inteira é como um jogo em que os jogadores apostam a própria vida.
Quem será que vai ganhar?

 
 

————————————————————–—————————————————————–

PERSONAGENS

Dae Gil é um personagem forte, leal, inteligente e ótimo espadachim. Apesar de “se tornar um tigre”, não vi muito isso na atuação do Geum Suk, mas não foi ruim. O personagem tem seu impacto e quando você pensa que ele vai fazer besteira, Dae Gil concerta antes mesmo que aconteça. Eu realmente gostei do personagem, mas não foi nem de longe meu favorito, apesar de ser o salvador da pátria rs.

In Jwa é tão ruim, mas tão ruim, que eu queria que ele morresse da pior forma (spoiler: e aconteceeu!! rs). Apesar de ter sentido pena da sua história de infância, onde ele perde a família toda que foram mortas por um mandato do rei, suas ações são extremas e não justificam o fato. Mesmo que queira a morte do rei, sua ganância fala mais alto, onde ele acha que vai criar uma nova era para Joseon se governar por trás do novo rei. E é esse seu propósito até o fim.

Príncipe e furuto rei Yeonjo merece um ♥. Um dos meus personagens favoritos da trama, com certeza cheio de complexidades. Ele é muito inteligente (muito mais que seus irmãos), protege o rei Sookjon e é leal. Não quer fazer mal a ninguém, mas acaba se metendo em “problemas” quando começa a desejar o trono. No fim, se torna igualmente frio e calculista como o pai, mas em contrapartida, tem Dae Gil para apoiá-lo e fazê-lo ser menos duro em suas decisões. O rei Yeonjo, na vida real, foi um rei muito bem reconhecido, como seu pai Sookjon. Forte e decidido. Por isso gostei tanto de seu personagem, por ser complexo e bem trabalhado, cheio de dificuldades, tristezas (spoiler: ele perde todo mundo gente, é muito saaad), mas mesmo assim continua destemido, pois sabe que esse é o preço a ser pago como rei.

O rei Sookjon foi de bater palmas! O cara é muuuito estranho e dá muuuito medo. Além do personagem, o ator também não é muito “normal”, por isso combinou certinho! rs. O rei parece saber de tudo, não é nada bobo e consegue passar por cima das dificuldades. Eu literalmente ficava sem ar quando ele aparecia, por causa do medo kk.

Dam Seo é uma garota que foi criada por In Jwa. Ela chama a atenção dos dois protagonistas, ambos foram apaixonados por ela. Mas vou dizer, a única coisa que senti pela Dam Seo foi pena. Uma personagem que tinha tudo para ser forte, mas suas decisões, baseadas naquilo que acreditava, a deixaram aparentemente fraca. Gostei da Dam Seo, mas só prestou para ser usada, tadinha.

 
 

Tem tantos outros personagens importantes que me marcaram, mas deixo para a curiosidade de vocês! ;) 

————————————————————–—————————————————————–

Mas o que achei de tudo isso?

Pontos positivos:

1. Daebak é Daebak! rs. Um espetáculo!! Posso dizer que entra na lista de sageuks favoritos sem pensar duas vezes. Enquanto os primeiros eps do drama foram mais ou menos, a partir da volta de Dae Gil como “tigre”, tudo se torna mais interessante e mais vívido. Roteiro bem emocionante e tenso ao mesmo tempo.

2. Atuações incríveis do Jin Goo e Min Soo. Como disse na descrição dos personagens, eles simplesmente arrasaram! Só por ter atores com tanto destaque e impacto na atuação, Daebak ganha muitos pontos positivos. Como meu coordenador de cinema costuma falar: o ator carrega o filme. E pior que sim, na maioria das vezes, é verdade! Enquanto Geum Suk atuou bem, os destaques, na minha opinião foram esses dois. Eu tremia de medo com o Min Soo, um rei frio e doido! Muito! Combinou com o personagem. Já Jin Goo mostrou muito bem a diferença entre um príncipe e um rei. Quase me acabava quando o via chorar (não é a toa, o garoto já se destacou muito em The Moon that embraces the Sun e I Miss You, por exemplo).


 
 
IMG_0345

Muitas pessoas gostam do Geum Suk por isso somente observam sua atuação, mas não fazem comparações sólidas. Na minha opinião, Geum Suk foi bem, mas não se destacou, eu podia imaginar outros atores pro papel, diferente de Jin Goo e Min Soo. Na fase final, estava bem mais satisfeita com sua atuação, porém, nem chegava aos pés do que foi o impacto desses dois em seus personagens! MAGNÍFICO!

3. Trilha sonora dando peso às cenas! Com diversos momentos tensos, de tirar o fôlego, a trilha sonora tinha que condizer com o que era transmitido ao telespectador, e em Daebak isso não falhou!

Pontos negativos:

1. Romance que começa e não termina. Temos alguns pontos para romance no drama, mas não são explorados, por isso acho que nem deveriam ter existido. Sim, poderia haver uma conexão entre os personagens, mas eles claramente em alguns momentos quiseram “romantizar” para depois não acontecer nada. Enfim, se for pra ter que tenha. Se não for, não tenha. Ficar na média e não dar explicações deixa meio falho. Por isso, nem shippem muito.

2. Primeiros eps mornos, que quase me fizeram repensar em assistir (sim, eu sou chata mesmo). Mas que bom que não o fiz! Se você estiver passando por isso, continue, logo ficará muuuito melhor.

3. Dae Gil e seu destino: Dae Gil (personagem) é tipo um Chuck Noris coreano, gente, sério! O cara consegue sobreviver a mil e uma tentativas de assassinato, uma queda de penhasco, uma flechada no coração, uma facada na barriga, enfim, a morte que tem medo do Dae Gil kkk. Achei essa parte em específico beeem forçada. Por mais que ele tenha um destino importante na história, o cara não é um deus, então tentei relevar as cenas em que ele sobrevivia a tudo e se curava depois de algumas horas exposto ao sol e ao frio rs. Ah, e não era só ele não, mas o In Jwa que nunca morria e se livrava de todas. Apesar de ser um sageuk e obviamente nos fazer passar nervoso, esse extrapolou na irrealidade em alguns momentos.

————————————————————–—————————————————————–

ASSISTA!

dramafever (online)

viki (online)

kingdom fansubs

VIDEOS

teaser

casal que eu shippei pra nada rs

OST

aqui

————————————————————–—————————————————————–

Mais uma resenha de sageuk! Logo farei um especial desse tema! Se gostaram, ou não, deixem seus comentários!

Até!!




1 + três =

1 Comentário
  1. Maya disse:

    Louca pra ver!o brigada!